Direto do Twitter

05/10/2009

Por que não investir em outras coisas?

Serão gastos R$ 26 bilhões nas Olimpíadas do Rio de Janeiro (tem gente que fala em R$ 28,8 bilhões, isso sem falar nos R$ 138 milhões que já foram gastos com campanha e no R$ 1 milhão que foi gasto para abrigar o comitê de postulação brasileiro na Dinamarca). É muito dinheiro. Dinheiro que não é investido em saúde, educação, segurança. Quem pagará essa quantia?

Desculpe, presidente Lula, mas enquanto saúde, educação e segurança não receberem investimentos substanciais que façam diferença na vida do cidadão brasileiro, que transformem o Brasil, R$ 26 bilhões pras Olimpíadas não é investimento, é gasto. Gasto desnecessário. Principalmente se lembrarmos que o Brasil não é um país preocupado realmente com o esporte, já que boa parte das maiores estrelas do país não tem patrocínio.

Novamente estamos atropelando o rumo da história. Como diria meu irmão, first things first.

A campanha de trânsito de POA

Essa campanha de trânsito que vem sendo promovida pela prefeitura de Porto Alegre é digna de aplausos. É uma campanha que já devia ter sido executada há muito tempo. É uma campanha semelhante à de Brasília, da época do governo do Cristóvão Buarque, que funcionou bem, embora já não tenha o mesmo poder que tinha.

Agora, em Porto Alegre não sito que vá funcionar tão bem assim. E o motivo é mais complexo do que parece. Não tem nada a ver com a consciência dos motoristas. O problema de Porto Alegre é a localização das faixas de segurança. Normalmente, elas ficam posicionadas nas esquinas da cidade. Ora, um carro que vem trafegando por uma rua e pretende dobrar à direita na rua seguinte não tem capacidade para visualizar com tranquilidade se há um pedestre pretendendo atravessar a rua na esquina. As faixas de segurança deveriam estar posicionadas mais para dentro das quadras, o que daria boa visibilidade para qualquer motorista, evitaria que o pedestre se visse obrigado a apertar o passo e não causaria acidentes com os automóveis que estivessem trafegando atrás do que está na frente vendo o pedestre.

Vamos nos preparar para muitos acidentes e atropelamentos…