05/10/2009

A campanha de trânsito de POA

Essa campanha de trânsito que vem sendo promovida pela prefeitura de Porto Alegre é digna de aplausos. É uma campanha que já devia ter sido executada há muito tempo. É uma campanha semelhante à de Brasília, da época do governo do Cristóvão Buarque, que funcionou bem, embora já não tenha o mesmo poder que tinha.

Agora, em Porto Alegre não sito que vá funcionar tão bem assim. E o motivo é mais complexo do que parece. Não tem nada a ver com a consciência dos motoristas. O problema de Porto Alegre é a localização das faixas de segurança. Normalmente, elas ficam posicionadas nas esquinas da cidade. Ora, um carro que vem trafegando por uma rua e pretende dobrar à direita na rua seguinte não tem capacidade para visualizar com tranquilidade se há um pedestre pretendendo atravessar a rua na esquina. As faixas de segurança deveriam estar posicionadas mais para dentro das quadras, o que daria boa visibilidade para qualquer motorista, evitaria que o pedestre se visse obrigado a apertar o passo e não causaria acidentes com os automóveis que estivessem trafegando atrás do que está na frente vendo o pedestre.

Vamos nos preparar para muitos acidentes e atropelamentos…

Um comentário em “A campanha de trânsito de POA”

  1. Tatiana Tavares escreveu:

    É sempre um susto dobrar uma esquina e dar de cara com uma faixa de segurança e uma pessoa tentando atravessar. Mas a cidade costuma resolver mesmo seus problemas às avessas: primeiro, cria a lei, depois, percebe que não tem estrutura para que ela seja cumprida, e aí então vai pensar em uma solução – ou, como é comum, deixa pra lá.


Deixe um comentário

Comentário: